.
.
.DF
.
.
..
.
.
.
.

 

 

Ampliando temas
Principal
Ampliando temas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Leia
A Máscara de Capelle
 

Uma história de inveja, amor, traições e muito mistério.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Leia
A Máscara de Capelle
 

Uma história de inveja, amor, traições e muito mistério.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Leia
A Máscara de Capelle
 

Uma história de inveja, amor, traições e muito mistério.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

            Nossas interações com os diversos
            tipos de Realidade e de Seres

 

             Professor Newton Milhomens*
             Comunique-se
             11, Agosto/2003


          1 — Realidades       2 Seres

                         Realidades

 

Tudo o que abaixo você vai ler já foi dito num livro de minha autoria, publicado pela IBRASA, intitulado "O Misticismo à Luz da Ciência", somente que, antes de realmente iniciar a exposição, alguns pequenos comentários deverão ser feitos e levados em grande consideração, pois a grande verdade é que a grande maioria da população acha que sabe perfeitamente bem o que é a Realidade, mas a grande verdade mesmo é que nem os maiores expoentes do pensamento humano - Cientistas e Filósofos de renome internacional, alguns até mesmo ganhadores de Prêmio Nobel — estão cansados de afirmar, em todos os seus trabalhos, que não têm a mínima idéia do que seja a Realidade Total e que a Humanidade ainda está muito longe de sequer chegar perto de aspirar conhecê-la em sua totalidade, talvez estejamos, na atualidade, começando a conhecer apenas algumas de suas facetas.

Assim sendo, não se assuste com as diversas subdivisões da Realidade que apresentarei a seguir, pois elas são o que existe de mais moderno sobre o assunto e os maiores expoentes do pensamento humano, já acima mencionados, conhecem todas elas e sabem que, para poderem entender o Universo, de uma maneira mais ou menos ordenada, são obrigados a subdividir a Realidade. É claro que essas são algumas das subdivisões que hoje, em 2001, no início do Século XXI, são de nosso conhecimento, não significando que sejam as únicas existentes, nem nada impede que, com o correr dos anos e com o aumento do Conhecimento Humano, mais algumas sejam acrescentadas à lista que estou oferecendo para você, a partir do parágrafo abaixo.

Para maior facilidade didática e também para poder colocar uma certa ordem neste assunto, bem complexo por sinal, achei melhor começarmos por aquilo que chamamos quotidianamente de Realidade, e também a respeito daquilo que, no nosso dia-a-dia, costumamos classificar como os diversos tipos de Seres e de suas possíveis interações com aquilo que conhecemos como Consciência, desde que fique bem claro que Consciência é uma coisa e Percepção é outra coisa, totalmente diferente, para que não haja a mínima possibilidade de confusão entre os dois termos, o que popularmente costuma ocorrer com muita freqüência.

Como é comum para mim, e também, como sempre costumo fazer, antes de iniciar qualquer análise, prefiro sempre partir para as conceituações, com a única finalidade de, no final, "falarmos a mesma língua" e não dar margem a diversos tipos de interpretação.

Vamos iniciar esta exposição analisando a noção mais imediata que temos de Realidade e, logo de saída, somos obrigados a correlacionar Realidade com Conhecimento.

1. REALIDADE COGNITIVA (OU CULTURAL)

Como exemplo inicial, vamos verificar que os selvagens - de qualquer parte ou lugar do mundo - que se comunicam através de gritos, assobios, sinais especiais, códigos, toques de tambores, ou de algo semelhante, qualquer que seja o nome, não têm o menor conhecimento da existência das ondas de rádio ou de TV (ondas hertzianas) e jamais poderão sequer imaginar a existência de um tipo de comunicações inteiramente baseado nas ondas hertzianas, no rádio e na TV, por exemplo, que nada tem a ver com sua metodologia e tecnologia de tambores, etc.

E como desconhecem por completo a existência das ondas hertzianas, para eles, elas simplesmente não existem, sendo, portanto, totalmente irreais, e se alguém insistir no assunto, será considerado como mentiroso ou mesmo como o mais perfeito exemplo do lunático.

É que, para eles, totalmente ignorantes no que se refere às ondas hertzianas, estas não têm como se inserir no seu contexto cultural e, por conseguinte, naquilo que consideram como Realidade, a Realidade deles, pois a existência das ondas hertzianas ultrapassa o seu conhecimento e, portanto, para eles, simplesmente não existe!

Já para nós, que conhecemos as ondas hertzianas, elas são reais e possuem existência concreta, fazem parte daquilo que conceituamos como Realidade, mas, para os selvagens, esse fato real é total e completamente irreal!

Até parece um absurdo, não é mesmo? Pois esse é o primeiro tipo (ou nível) de Realidade, ou seja, a Realidade Cognitiva, aquela proveniente de nossos conhecimentos atuais. Isto em termos coletivos, pois se considerarmos cada indivíduo de per si e seu nível de conhecimentos, ainda teríamos uma espécie de subdivisão, ou seja, a Realidade Cognitiva Individual, cuja dimensão poderia ser determinada pelo grau de ignorância ou de conhecimentos desse indivíduo: - Quanto maior a ignorância, menor e menos abrangente será a Realidade para ele.

2. REALIDADE SENSORIAL (OU PERCEPTIVA)

Por outro lado, quando falamos de Realidade somos também obrigados a correlacioná-la com a Percepção, ou seja, com o uso dos sentidos, mais comumente, com o sentido da visão.

Mas nossos sentidos também são falhos e sujeitos a erros e distorções. Um exemplo muito simples disso são as famosas Ilusões de Ótica, assunto já tão debatido e mostrado em qualquer almanaquezinho popular que não iremos perder tempo mostrando qualquer exemplo delas, pois existem aos milhares e já são por demais conhecidas.

Certa vez, há alguns anos atrás, estava num Parque de Diversões e levei meu filho, na época, com 10 anos de idade para ver a "Mulher Aranha", a "Mulher Macaco" e outras aberrações criadas pela mais moderna arte da "trucagem", utilizando luz polarizada e outros artifícios produtores de "efeitos especiais", criadores dos mais diversos tipos de ilusões sensoriais.

Ao nosso lado, estava um rapaz novo, bronco, de pouca instrução, falando um português errado, que me tocou o braço e disse com ar de sincera estupefação, diante da "Mulher Aranha":

Óia meu sinhô... Se eu num tivesse visto cum esses óios aqui, num acriditava não! O sinhô num viu que eu inté cunversei cum ela e que ela fala?

Sinceramente, deu-me uma enorme vontade de cair numa estrepitosa gargalhada, mas a muito custo consegui conter-me e expliquei-lhe:

— Meu amigo... Isso é um truque, ainda não percebeu? Embaixo dessa armação, uma moça está sentada e apenas a cabeça dela está aparecendo, encaixada num artefato parecido com uma enorme aranha, não é mesmo moça?

E a moça fantasiada de aranha não se conteve mais e caiu numa gostosa gargalhada.

Num sei não, meu sinhô... Acho que o sinhô está querendo é me confundí... Num sei não... Meus óios num mente... Tô vendo a "Muié Aranha"... Num vê que ela está inté rindo do tamanho da bestêra que o sinhô tá dizendo?

Bem, com esse exemplo - que efetivamente ocorreu - estou apenas querendo mostrar que a falta de conhecimentos leva-nos a fazer julgamentos distorcidos e errôneos dos fatos, muito embora nossos sentidos estejam captando algo proveniente do mundo exterior a nós.

Esse tipo de realidade, a mais comum de todas, aquela que nós usamos no dia-a-dia e em nossa conversação normal, a "Realidade de São Tomé", sem nos determos para realizar uma análise mais profunda dos fatos, será por mim classificada como Realidade Sensorial.

Tudo nos leva a crer ser essa a realidade em que vivem mergulhados e dela não saem, de jeito nenhum, os cépticos, os fanáticos e os desinformados que, em última análise, comportam-se exatamente como o rapaz do exemplo acima e não conseguem aperceber-se disso.

3. REALIDADE ABSTRATA

Vamos, agora, verificar a existência de um fato intrigante, que muita gente até desconhece, por não o haver ainda utilizado, pois ainda não realizou nenhuma viagem para o Exterior, ainda mesmo que seja para fazer turismo.

Para você viajar para o Exterior, necessita de um documento chamado Passaporte. Sem ele, você não entrará legalmente em nenhum país estrangeiro. O passaporte é o documento que comprova a sua nacionalidade. Mas, o que é mesmo nacionalidade? A nacionalidade é a sua qualidade de cidadão de um país qualquer. Por exemplo, se você é cidadão brasileiro, sua nacionalidade é a nacionalidade brasileira. Qual o comprimento, qual a cor, qual o peso da nacionalidade? Teria ela existência real? Isso eu garanto que sim, pois se você fizer uma viagem ao Exterior, logo, logo, vai constatar a existência real de sua nacionalidade.

Gramaticalmente, a nacionalidade é conhecida como um substantivo abstrato, algo que não tem existência física ou material, mas que existe.

Igualmente, o amor, o ódio, a saudade, o desespero, o medo e muitas outras coisas mais existem, mas são totalmente abstratas (ou não?), conforme você vier a tomar contato com elas.

A partir da constatação da existência de todos esses eventos e fatos abstratos, podemos, então, afirmar existir mais um tipo de Realidade, ou seja, a Realidade Abstrata.

4. REALIDADE PSICOLÓGICA (OU PSÍQUICA)

Relatou-me, certa vez, um amigo meu, um Psicólogo Clínico, que tratou de um certo menino e que este menino tinha uma reação de medo e de desespero toda vez que lhe colocavam nas proximidades um ursinho (ou qualquer outro bonequinho) de pelúcia e até mesmo tecidos felpudos, ou roupas de lã peluda. Explicou-me o amigo Psicólogo que essa reação ocorria devido ao fato de que, no passado, esse mesmo menino havia sido atacado e mordido por um cão peludo e esse fato causou-lhe um enorme trauma psicológico. Toda vez que colocavam em sua proximidade algum objeto peludo ou felpudo, o trauma psicológico vinha à tona e desencadeava toda aquela reação de medo e de desespero.

Igualmente, uma música, um aroma, enfim, qualquer coisa, é capaz de desencadear em qualquer um de nós reações psicológicas diversas, de prazer, de dor, de tristeza, etc, tudo devido ao nosso psiquismo e a algum tipo de trauma psicológico - no bom e/ou no mau sentido - que tivermos tido no passado. Este tipo de coisa acontece e tem existência real, mas, igualmente, não pode ser medido, pesado, ou fisicamente classificado, pois só existe no nosso psiquismo.

A partir da constatação da existência de mais esse tipo de eventos e fatos puramente psicológicos, podemos, então, afirmar existir outro tipo de realidade, ou seja, a Realidade Psicológica, ou, se preferir, Realidade Psíquica.

5. REALIDADE CIENTÍFICA

Já as ondas de rádio, os micróbios, a radiatividade, a radiação ultravioleta e a radiação infravermelha, são totalmente imperceptíveis para nossos sentidos. Igualmente, os átomos, os elétrons, enfim, todas as partículas atômicas, a gravitação, todas as nossas células e todos os seus diversos componentes são-nos totalmente imperceptíveis pelos nossos sentidos comuns.

No entanto existem, estão aí mesmo, funcionando, trazendo-nos benefícios ou malefícios, segundo suas próprias naturezas intrínsecas.

Sabe-se da existência desses fatos, eventos e objetos apenas através de aparelhagem especial, utilizada pelos pesquisadores científicos, nos diversos laboratórios científicos, espalhados por todo o Planeta Terra. Mas que são reais, disso ninguém duvida.

A partir desse tipo de constatação, podemos, então, deduzir que esses eventos e objetos pertencem àquilo que chamarei de Realidade Científica.

6. REALIDADE TRANSCENDENTE

Por todo o Planeta Terra, em todas as épocas e civilizações, são relatados como existentes, certos fatos transcendentes ao nosso cotidiano, tais como intuições, transmissões telepáticas, movimentação de objetos pela simples atuação da mente, aparições de seres estranhos (humanos mortos - os fantasmas - ou de outro tipo, tais como anjos, devas, exús, orixás, elementais, etc), estados especiais de percepção e de experiências com outros tipos de mundos ou de lugares considerados como transcendentes.

Por pura questão de preconceito, as pessoas diretamente ligadas ao dia-a-dia com a Realidade Científica costumam negar esses fatos peremptoriamente sem se deter para verificar se sequer ocorrem, negando tudo à priori, até mesmo, com certo fanatismo. Como o "povão", as pessoas comuns, de maneira geral, está avalizando incondicionalmente o pensamento científico, igualmente começa a agir da mesma maneira, sem pensar muito sobre o assunto e também nega sistematicamente a existência desses fatos.

Se você conseguir manter sua imparcialidade ao analisar esses fatos e eventos, certamente concordará comigo em classificar tudo isso naquilo que passarei a chamar de Realidade Transcendente, ainda mesmo que coloque algumas restrições a esses fatos.

Poderíamos continuar tecendo mais e mais comentários acerca do assunto Realidade, mas penso que, para a finalidade objetiva e central deste trabalho, essas classificações acima já são mais do que suficientes para serem levadas em consideração, tendo em vista os diversos assuntos que serão abordados no decorrer deste artigo .

UM ALERTA
Quando alguém pergunta, por exemplo, se alguma coisa existe ou se é possível, normalmente respondemos, de imediato, de acordo com o tipo de realidade com a qual estamos mais acostumados a lidar, no nosso dia-a-dia, e esquecemos - ou, até mesmo, nem sequer temos conhecimento - de que existem outros tipos de realidade tão válidos quanto aquele que utilizamos no nosso dia-a-dia, geralmente, no nosso mais imediato campo de atividades.

Sei que vai parecer muito estranho para uma grande maioria de pessoas "engolir" isso que acima afirmei, mas é um fato e não temos como fugir dele. Quer ver um exemplo? Para a grande maioria das pessoas, só pode existir a Matemática de base decimal, ou seja, aquela que usamos no nosso dia-a-dia quotidiano, mas os computadores utilizam a Matemática binária e os relógios utilizam a Matemática duodecimal. A partir desse raciocínio, se eu afirmar para você que 9 + 5 = 2, a maioria da população, imediatamente, vai gritar: - Está errado!

Se as pessoas se basearem na Matemática decimal, estarão falando a mais cristalina das verdades e eu mesmo concordo inteiramente com isso. Mas se eu estiver falando em termos da Matemática do relógio, aí, então, é só olhar para o mostrador do relógio e verificar que estou afirmando a mais cristalina das verdades, pois, no relógio, tudo começa no 1 e termina no 12. De acordo?

Então, 9 + 5 = 2 , ou seja, vamos decompor tudo de acordo com o mostrador do relógio e, de saída, verificamos que 5 = 3 + 2. Então, 9 + 3 = 12 e 12 + 2 = 2 horas, não é mesmo?

Assim sendo, toda vez que você ouvir ou ler - enfim, tomar conhecimento de - uma afirmação qualquer, é necessário tomar muito cuidado para não sair afirmando logo a primeira resposta que lhe vier à cabeça, pois existem vários tipos de Realidade e você precisa analisar bastante o que o seu interlocutor estiver afirmando, para não parecer um fanático e também para que você não se atenha nunca a uma única espécie de Realidade ou, se preferir, a um único tipo de Modelo ou de Paradigma, pois isso será um comportamento tendencioso e fanático.

Talvez você ainda não - ou nunca - travou conhecimento com os meandros do Conhecimento Filosófico ou, simplesmente, a Filosofia e, por esse motivo, ainda não se tenha detido para raciocinar na existência de vários tipos de Realidade, pois é uma tendência inata que todos nós temos para a pura e simples generalização e, por esse motivo, já estamos viciados em utilizar apenas um Modelo de Realidade - ou um único Paradigma - para analisar os fatos da vida.

Sei muito bem que, ao ler a relação de seres que abaixo irei enumerar, bem poucas pessoas não irão estranhar o que vou dizer sobre eles, nem como os estarei conceituando. Lembre-se sempre de que não estamos lidando apenas com um único tipo de Realidade e sim com todos os tipos de Realidade que acima enumerei e que todos eles são tão válidos quanto qualquer outro, inclusive aquele que você costuma empregar no seu dia-a-dia.

Vamos, então, agir com parcimônia.

Sobe

 

 

[ Alto]            [ Volta ]            [ Seres ]

 

Para melhor compreensão e apreensão do conteúdo deste artigo, sugerimos a leitura do artigo NOÇÕES BÁSICAS DE ENERGIA E DE FÍSICA MODERNA, A NÍVEL POPULAR - http://www.kirlian.com.br/info_por_0078_2d.asp

O Professor de Física, Dr. Newton Milhomes é atual Vice-Presidente da IUMAB e seu Representante Plenipotenciário para o Brasil e América Latina.

 

Sobre Bioeletrografia :
Hoje em dia, a Bioeletrografia (novo nome da Kirliangrafia) já é considerada como um FATO CIENTÍFICO pela Academia de Ciências da Rússia e vários outros organismos internacionais, inclusive a UNESCO/ONU e já é até recomendada como instrumento auxiliar para a Pratica Médica pelo Ministério da Saúde da Rússia. Para conhecer mais sobre o assunto visite o site acima.

[ Alto]            [ Volta ]            [ Seres ]

 

 

DF
Interativas

Amizade

ClubeDF

CtrlQualidade

Participe
Expatriates

Onça

Amor

Seguros

Socorro

Trabalho&

Negócios

Serviços

Separação

Moda

ElesPorEles

Viagem

Cultura

NetColun@

NetHumor

Brechando

Entrevistas

Mulher

JovensElas

Noivas/Noivos

Perfumes

Lar&Casa

Lojas

Saudável

Internacional

Lazer

Lojas

Temáticos

Editorial
Opinião
Editora
DF

 

[ Domínio Feminino © 1998 -2003. Todos os direitos reservados. ] Brasil - Brazil, we speak portuguese