.
seus domínios
.DF
DF
 
.
.
.
D.F

 

 

Quando crescem

 

Não se assuste quando chegar a hora em que você descobrir que seu filho é um " homem feito" . Você vai percorrer o mesmo caminho de toda mãe. Vai assustar-se quando der um abraço nele e descobrir que o pênis dele vai encontrar a sua coxa, O medo é grande, sim senhora. Mas, o que você vai fazer nessa hora? Afastar-se dele, como tem sido reação através de milênios de culpa ?

É possível, com certeza, que muitas mulheres, principalmente aquelas que tiveram muitos filhos, nunca tenham se dado conta disso, pois o tempo dedicado ao afeto através do contato físico foram raros. Aquelas outras que têm dificuldades em demonstrar o afeto através desse contato com seus filhos, também. Não raro, quando os filhos adolescem as mães evitam esse contato por acreditarem que " ele não é mais necessário."

Não é preciso nenhum resultado estatístico para se chegar à conclusão, de que a maioria dos casais quando se separam têm, quase sempre, um filho ou uma filha adolescendo. Basta dar uma olhada à volta. Ou seria mera coincidência?

Não vai nisso nenhuma afirmação absoluta, resultado de dados científicos. Sem dúvida, um casamento não se desfaz por apenas um ingrediente.

Por outro lado, muitos são os adolescentes que além da necessidade de demonstrar que estão ficando adultos, para demonstrar auto-afirmação, rejeitam a proximidade das mães, eles de certa forma vão agir do mesmo modo, distanciando-se para fugir àquela estranheza que , agora, causa o abraço inteiro.

 

Na pré-adolescência até um pouco mais adiante, na adolescência, o menino apresenta um estado de quase permanente excitação natural. Parecem estar sempre em quase estado de ereção. E é verdade. Um nadinha de nada e pronto. Na praia é um sufoco. Na rua, olhando uma menina e outra vez, pronto, em ereção. Coitados, eles passam aperto.

 

Não o deixe sozinho, nessa fase tão complicada. Mãe, tanto quanto pai devem ficar por perto e conversando sobre sexo, pois isso é o assunto que muito o perturba nessa idade. É preciso deixar os tabus de lado e romper com a cultura do " ele aprende sozinho" ou "ele aprende com os amiguinhos dele" . Como, com os amiguinhos dele? Que sabem tanto quanto ele? Não seria isso um ato de abandono?

Seu filho homem vai ficar mais assustado do que você e vai precisar do seu suporte. Não o mande para a rua. Sim, porque se você distanciar-se do corpo dele, será uma forma de rejeição, ainda que não se queira aceitar. Quantas mães enfrentariam o medo e a culpa para ajudar seu filho e ajudar a si mesma a conviver com a nova e " súbita" situação ? Ora, essa não é uma hora fácil. Lidar com tal situação requer que tanto a mãe quanto o pai tenha desenvolvido um imenso grau de sinceridade e respeito junto ao filho e entre ele próprio, o casal.

 

Todos direitos reservados à Corpo da Letra Editora - Texto extraído do original à ser publicado - O Homem nosso de cada dia.

 

 

DF
Interativas
Amizade
ClubeDF
CtrlQualidade
Participe
Expatriates

Onça

Amor
Seguros
Socorro
Separação
Viagens
Mulher
NósMulheres
Moda
JovensElas
NoivosNoivas
Compras

Seguros

ElesPorEles
Viagens
NetPoesia
NetColuna
Humor via e-mail
Cultura
Por aqui, senhores
Entrevista
Perfume
Saudável
Lar&Casa
Serviços
Trabalho& Negócios
Lazer
Opinião
Editorial
Editora
DF

 

 

 

[ Domínio Feminino 2000 -2001. Todos os direitos reservados. ]

Cadastre-se