.
..                    
.                                                               
    
                          

 

 

    Artigos
    Seguros
    Oportunidades
    Controle de Qualidade
    Pequenos empresários
    Serviços
    Mediação de Conflitos
    Mercosul
    Finanças&Investimentos
    Idéias
    Opinião
    Internacional

 

Seguros
    Enio Vieira
Fotográfos
    Jean-Marc
    Vantoen Pereira Jr.
Dentista
    Dr. Paulo Alberto Cardoso
Mercosul
    Marketeck/SA
Internacional
    International Food
    & Beverage Consulting
Serviços
    Pessoais

 

 

 

 

 

É preciso fazer "chegar a vez"
dos empreendedores

 

Benedito Julio de Souza ( * )
Maio 15, 2005

 

Leia Agora são 74 Impostos

"Os governos nunca quebram. Por causa disso, eles quebram as nações".
Kennet Arrow, Prêmio Nobel de Economia de 1972

 

Historicamente a pátria amada Brasil não tem sido gentil com os empreendedores. Porém, agora, para minimizar o desemprego, um dos maiores problemas sociais do país, é necessário suscitar transformações rumo a criação de uma cultura empreendedora.

Somente pela mudança nas normas sociais e culturais a respeito dos empreendedores iremos sair de uma posição negativa de 10 milhões de desempregados para uma posição positiva de 50 milhões de oportunidades de trabalho.

Temos que parar o crescimento dos cemitérios de pessoas jurídicas, de direito privado! Eu explico:

Era mais um dia de leilão no Depositário da Justiça do Trabalho - DJT, na Cidade Industrial de Curitiba. Embora more na cidade há algum tempo, somente agora tive oportunidade de conhecer o DJT de perto. Fiquei por lá cerca de meia hora. Tempo suficiente para perceber que estava diante de uma “ossada” de empresas internadas na UTI (Unidade dos Torturados por Impostos) ou mesmo já falidas.

Na medida que andava pelos diversos corredores, todos formados e organizados com máquinas e equipamentos, chapas de aço, ventiladores, escrivaninhas, arquivos metálicos, vasos sanitários, chapas de mármores, tratores, tampos de pias e computadores, lembro-me que estava sendo tomado por interrogações:

Quem foram os empreendedores? Onde estão hoje? Quantos postos de trabalhos foram criados? Por que quebraram? Quantas pessoas operaram aquelas máquinas e equipamentos? Quantos impostos foram gerados? Quantas pessoas serão beneficiadas com as vendas dos "restos mortais"? Será que não seria mais interessante transformar tudo aquilo em um museu de sucata industrial? Se nossas normas sociais e culturais valorizassem mais os empresários, haveria tantas empresas indo para o cemitério?

Parei minha reflexão. Tinha que parar, pois era possível formular infinitas interrogações.

Ressalto dois detalhes. Um deles e a forma como estavam “enterrados”: havia a ala dos sepultados em barracões cobertos e a ala dos sepultados a céu aberto. A probabilidade de encontrar “um dente de ouro” entre os que estavam a céu aberto era mínima.

O outro detalhe é que não encontrei nenhum indício de “ossos” oriundos das esferas do governo federal, estadual ou municipal. Tudo muito curioso. Governo Federal não quebra, Governo Estadual não quebra, Governo Municipal também não quebra. Será uma performance administrativa de fazer inveja para qualquer grupo de Ph.D do mundo? Com certeza não.

Sem querer criar ramificações complexas, atente para o seguinte: será que para as três esferas de governo manterem- se vivas, os cemitérios de empresas privadas precisam crescer? Não, não precisa. O que é necessário é fazer com que nossa sociedade perceba o real valor dos empreendedores ao desenvolvimento econômico e social, do Brasil. E os apóiem.

Como? Criando políticas e programas de curto, médio e longo prazo que priorizem as iniciativas empresariais, levando os fundamentos de uma sociedade empreendedora para as escolas, oferecendo linhas de créditos compatíveis com os perfis das atividades empresariais e a maturação das empresas, simplificando as leis trabalhistas, desonerando a produção e reformulando as leis tributárias e as leis de previdência social.

Leia Agora são 74 Impostos

 



*Benedito Julio de Souza,
Consultor em Atividades Empreendedoras
Profissional da Educação - Área de Empreendedorismo
Autor do Livro:Criando uma cultura empreendedora no
Brasil - Edição do Autor. Curitiba, 2004, 114 p.

Saiba mais sobre o livro:
http://bjs.souza.sites.uol.com.br/
.

Sobe

DF
Interativas

Amizade

ClubeDF

CtrlQualidade

Participe
Expatriates

Onça

Amor

Seguros

Socorro

Trabalho&

Negócios

Serviços

Separação

Moda

ElesPorEles

Viagem

Cultura

NetColun@

NetHumor

Brechando

Entrevistas

Mulher

JovensElas

Noivas/Noivos

Perfumes

Lar&Casa

Lojas

Saudável

Internacional

Lazer

Lojas

Temáticos

Editorial
Opinião
Editora
DF

[ Domínio Feminino © 1998-2005. Todos os direitos reservados. ] Brasil - Brazil We speak Portuguese